Quadro de Carros de Robô Automáticos em Tráfego


Os carros cada vez mais automáticos dirigem nos caminhos da Europa. As velhas pessoas compram-nos, porque eles são mais cômodos e mais seguros de dirigir. Há milhares deles em Berlim, Paris e a Barcelona. Em algumas pessoas de cidades já começadas para recusar possuir os carros, porque os táxis de robô elétricos são mais baratos para usar do que possuir um carro.

Os robôs sustentam em muitas áreas. Eles ajudam a construir, dirigir, cozinhar e servir. Muitas vezes eles somente assistem, mas no tempo recente eles começaram a ficar completamente automáticos.

Em caso de táxis automáticos, os carros robóticos parecem ser perfeitos. Os turistas podem confiar neles para ser tão honestos enquanto possível. As mulheres podem dormir nas costas sentam e descansam sem sentir os olhos de um motorista macho.

Os trens autônomos, os ônibus e os bondes são mais aceitos por pessoas, porque eles correm em pistas predestinadas que as pessoas podem predizer. Da experiência, há menos raiva com eles, porque não podes culpar o trem automático para ser a primeiro ou a tarde. Os transportes automáticos tentam estar tão bem enquanto possível, porque eles são programados para fazer isto. Quando não há nenhum motorista, as pessoas somente aceitam erros mais facilmente. Os erros dos trens robóticos são aborrecidos às vezes, quando eles param muito rápido no meio da pista para esperar por outro trem para passar. Um motorista humano muito calmo somente rolaria lentamente antes da paragem. Em situações críticas eles dominam as pistas melhor então seres humanos.

As pessoas são facilmente distraídas e muitas vezes fazem erros muito simples com grandes conseqüências no caminho. Os carros robóticos são mais imunes àqueles erros simples. Os robôs prestam a atenção todo o tempo. Os carros automáticos fazem muito erros de visão isto os seres humanos fazem. Os erros dos robôs são mais complexos.

O assunto principal com robôs é que eles não têm nenhuma presciência do invisível. E também, as suposições pré-programadas podem estar perigosamente enganadas, como mesmo como acontece com seres humanos. Digamos uma mulher está dirigindo 40 km/h em uma rua estreita, porque ela sabe que podem haver crianças que ficam sem a escola durante os dias cheios de sol. Um carro automático dirigiria 50 km/h predestinados, porque não pode saber que as crianças estão mais felizes de correr em volta durante os dias cheios de sol.

Os robôs não podem ler intenções de pedestres. Se dois amantes felizes ou uma mãe com uma criança quiserem atravessar a rua, os motoristas humanos podem diminuir a marcha e parar, porque eles se sentem bem depois de ser gentis e útil. Um carro de robô automático até não consideraria para diminuir a marcha, porque não pode ler as intenções das pessoas que querem atravessar a rua ou somente estar no lado.

Este comportamento pode ser pré-programado no carro. Assim quando há muitas pessoas nas ruas, o carro robótico somente dirigiria mais devagar do que o limite de velocidade, porque isto pode evitar situações arriscadas. Mas é ainda problemático. Terceirizar decisões a um robô está criando a desconfiança, porque o usuário médio não confia nos carros robóticos programados para ser tão gentil e útil como os seres humanos podem ser.

Os carros robóticos podem ser menos perigosos e mais baratos do que motoristas humanos a longo prazo. O seu êxito é inevitável, como eles se melhoram cada ano. A sua dominação só é diminuída pela desconfiança, suspeitas e assuntos dos motoristas humanos, que têm assuntos razoáveis para ser totalmente responsáveis pelos erros dos carros robóticos.

O quadro de um caminho molhado com carros no engarrafamento de tráfego é de epSos.de e é livre de acordo com a Licença de Povo Criativa. No qual a foto original está flickR.com

transparent twitter icon free facebook icon logo free Google Plus icon logo

Be happy. Talk with people.

Thank you for sending !

website logo
Tweet me

Google+ me

«    Send this page